Eventos

Curso de Férias "Construção do Personagem"

Mais informações: http://cinemacineum.blogspot.com.br/





No final do século 19, na Rússia, surgia um ator e grande entusiasta da arte da representação, que não estava satisfeito com a forma melodramática de declamação do teatro da época. Apenas poucos atores chamados "gênios" conseguiam verdadeiramente uma atuação realista, que convencesse em cena. Inconformado, este ator passou a sistematizar o trabalho dos artistas que admirava, negando toda forma de inspiração ou talento, e partindo de pressupostos técnicos e sistemáticos. Este era Constantin Stanislavski, pai da pedagogia do ator, e criador do mais conhecido e importante estudo de interpretação, o chamado Sistema Stanislavski.


Os estudos de Stanislavski se popularizaram no mundo inteiro ao longo do século 20 e chegaram à Hollywood em meados de 1930, pelas mãos de Elia Kazan. Em parceria com alguns nomes do teatro e do cinema norte-americano, Kazan fundaria o Actor's Studio. Lee Strasberg, a partir de 1950, no comando do Studio, foi um dos grandes responsáveis pela popularização do Sistema Stanislavski, que a partir da visão estadunidense, ganhou status de "método", ou melhor ainda, "O Método". 

Técnicas de submersão no personagem e alta dosagem nas emoções popularizaram atores como James Dean, Marilyn Monroe e Marlon Brando, entre muitos outros. Entretanto, como poderíamos entender o Método à luz de nossas experiências práticas? O que Stanislavski tinha como objetivo com a sistematização e sua busca pela verdade cênica? Será que Lee Strasberg e Hollywood de fato continuaram a pesquisa de seu sistema?



 Objetivos

O curso Construção do Personagem: Uma abordagem sobre a interpretação, ministrado por Juliano Rabello, tem o objetivo fornecer elementos teóricos e reflexivos que ofereçam respostas às questões fundamentais: Como construir um personagem? Como dirigir uma interpretação cênica? Baseado em experiências práticas do ministrante e de caminhos traçados por grandes atores e atrizes, o curso oferecerá aos participantes - sejam eles atores, roteiristas ou diretores - ferramentas efetivas para seus projetos cinematográficos.


Público alvo

O curso é aberto ao público em geral.
Não é necessário nenhum pré-requisito de formação e/ou atuação profissional para participar deste curso.
Trata-se de uma atividade de caráter teórico. 


Conteúdos

Aula 1

- A revolução de Stanislavski para o trabalho do ator.
- A americanização do Sistema Stanislavski.
- A construção de uma Ação Real.

 


Aula 2

- O superobjetivo e a linha direta de ações.
- Uso das lembranças do ator na construção de um personagem.
- Fisicalização, o trabalho dos atores "camaleões".
  


Ministrante Juliano Rabello

Ator, diretor e professor de teatro, coaching de atores e coordenador da Efêmeros Escola de Arte. Dirigiu o espetáculo “O Anexo Secreto”, adaptação do livro Diário de Anne Frank. É preparador de elenco da Painel Publicidade e ator da Cia. Fasta. Atualmente remonta de maneira prática todos os elementos do sistema de Stanislavski e participa da elaboração do musical "Vamos Fazer um Filme?". É diretor e preparador de elenco da peça “A Gaivota”, de Anton Tchekov.


Curso
CONSTRUÇÃO DO PERSONAGEM:
UMA ABORDAGEM SOBRE A INTERPRETAÇÃO
de Juliano Rabello

Datas
09 e 10 de Fevereiro (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
Valor promocional: R$ 70,00

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Patrocínio
Total Poker Club
Apoio
Cinemateca Capitólio Petrobras


Curso de Férias: Pier Paolo Pasolini

Mais informações: http://cinemacineum.blogspot.com.br/





Pier Paolo Pasolini nasceu em Bolonha, em 1922. Assassinado aos 53 anos, em 1975, teve uma vida intensa e polêmica. Estudou arte e literatura na universidade e ingressou no cinema como roteirista de Federico Fellini. Além de figurar entre os grandes do cinema, publicou romances, peças de teatro, ensaios e panfletos políticos. Acima de tudo, foi poeta.


Criou uma obra original. Desde a estreia com Accattone (1961) até o seu último filme Saló ou Os 120 Dias de Sodoma (1975) manteve a ousadia de se reinventar sempre, legando obras notáveis como Teorema (1968) e Decameron (1972), primeiro título de uma trilogia de celebração da vida pelo erotismo, a alegria, o sexo e a exaltação do corpo.


Filiado ao marxismo e formado no misticismo católico da Itália do pós-guerra, percorreu um caminho próprio. Homossexual assumido, foi um intelectual público que se manifestou sobre questões candentes da sociedade através de artigos em jornais, além do cinema e da poesia. Viveu uma radical autonomia criativa na arte e em sua vida pessoal. Além de ter feito 15 longas, curtas e médias-metragens, Pasolini também foi teórico e cunhou a metáfora “cinelíngua” para falar da linguagem do cinema como língua escrita da realidade.


Objetivos

O curso Pier Paolo Pasolini: Intelectual e Cineasta Maldito, ministrado por Fatimarlei Lunardelli, abordará o pensamento e a obra fílmica do diretor. Serão apresentadas as ideias principais do cineasta que se valeu de uma estética cinematográfica radical para criticar a alienação da sociedade de consumo e denunciar a dessacralização do mundo pelo capitalismo avançado.


Conteúdos

Aula 1 - Ousadia criativa e existencial
O poeta
O intelectual
O cineasta

Aula 2 – A obra fílmica e as ideias
Processo criativo
Viés político e estético
A tradição reinventada


Ministrante: Fatimarlei Lunardelli

Pesquisadora e professora nas áreas de Análise, Teoria, Crítica e História do Cinema. Integrante da ABRACCINE e ACCIRS, entidades representativas da crítica cinematográfica brasileira e do Rio Grande do Sul. Já ministrou os cursos "Federico Fellini: O Maestro", "Análise e Interpretação de Filmes", “Ettore Scola: Um Cineasta Muito Especial” e “Narrativa Cinematográfica” pela Cine UM.


Curso
PIER PAOLO PASOLINI:
INTELECTUAL E CINEASTA MALDITO
de Fatimarlei Lunardelli

Datas
26 e 27 de Janeiro (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
Valor promocional: R$ 70,00

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Patrocínio
Total Poker Club

Apoio
Cinemateca Capitólio Petrobras



Curso de Férias: O Cinema na Segunda Guerra Mundial







A Segunda Guerra Mundial foi um evento global extraordinário. A repercussão do seu desenvolvimento e do seu desfecho afeta profundamente o mundo até hoje. Contudo, a representação cinematográfica da Segunda Guerra não é equilibrada e precisa ser vista com cautela.


Apesar de envolver diversas nações em praticamente todos os continentes, somente um país emergiu intacto do conflito. Não por acaso, foi nesse país que o cinema atingiu o patamar de indústria, com sua produção sufocando todas as demais. Como sempre, a história foi contada pelos vencedores.

A hegemonia do cinema americano, a partir de então, foi fundamental para a construção de uma noção equivocada de que os EUA foram o fiel da balança na grande luta contra o Nazismo.

No geral, os filmes sobre a segunda guerra celebram as causas aliadas, apresentam uma luta dicotômica entre o bem e o mal e supervalorizam determinados temas como o Dia-D. A realidade da guerra, no entanto, é muito mais complexa e fascinante.


Objetivos

O curso Os Filmes Vão à Luta: O Cinema na Segunda Guerra Mundial, ministrado por Luís Mário Fontoura, propõe um olhar diferenciado sobre a cinematografia dos beligerantes. A ideia é apresentar os principais filmes realizados pelos países envolvidos, contextualizando-os com a realidade histórica e a experiência única de cada um deles. Afinal, para cada nação, a experiência da guerra foi única, assim como o seu olhar cinematográfico sobre ela.



Conteúdos

Produção Cinematográfica durante a Guerra, 1939-1945. Ficção e Documentário.

Principal Filmografia por País. URSS, EUA, Reino Unido, Alemanha, Itália, França, Japão e demais envolvidos. Um guia visual para a guerra.

Os Dez Grandes filmes de Guerra; Qualidades Cinematográficas e Temáticas.

Produções para a TV; Band of BrothersThe PacificThe World at War.



Ministrante: Luís Mário Fontoura

Roteirista formado pela Unisinos (RS). Diretor da série Por Mais Terras que Eu Percorra, sobre a FEB na Segunda Guerra e do curta-metragem Dona Herta, que conta a história de uma sobrevivente do holocausto, além de diversos outros curtas e programas de TV.


Curso
OS FILMES VÃO À LUTA: O CINEMA NA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

de Luis Mário Fontoura

Datas
12 e 13 de Janeiro (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 90,00



Formas de pagamento
Cartão de crédito ou Depósito / Transferência bancária

* PROMOÇÃO COMBO
ATENÇÃO: Válido apenas para pagamento por depósito / transferência
a) 1 Curso de Férias: R$ 90,00
b) 2 Cursos de Férias: R$ 80,00 (p/curso)
c) 3 Cursos de Férias: R$ 70,00 (p/curso)
d) 4 Cursos de Férias: R$ 60,00 (p/curso)

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Patrocínio
Total Poker Club

Apoio
Cinemateca Capitólio Petrobras



Curso Buster Keaton






Apresentação

Buster Keaton é um dos três maiores e mais influentes atores e diretores da comédia clássica americana, juntamente com Charlie Chaplin e Harold Lloyd. Depois de anos no ostracismo, Keaton teve sua carreira revista por novos apreciadores no final de sua trajetória e, com isso, sua linguagem se tornou influência para grandes nomes da sétima arte.


Também conhecido como “Stone Face”, não só a sua forma caricata e séria de lidar com as situações cômicas se tornaram famosas, mas sim toda a engenhosidade de suas gags. Rebuscadas, dinâmicas, orquestradas e funcionais, as suas cenas se tornaram inesquecíveis diante de um momento tão primitivo da comédia no cinema.


Estudar Buster Keaton é reproduzir o que o próprio profissional fez em sua carreira; buscar o entendimento de uma linguagem para o domínio da mesma. Ao entendermos e lermos Keaton estamos abrindo nossa percepção para o primórdio de boa parte da inventividade do cinema cômico.


Objetivos

O curso Buster Keaton: Gênio Esquecido da Comédia, ministrado por Christian Farias, objetiva estabelecer as diferenças entre a comédia realizada pelo comediante e seus contemporâneos, assim como sua contribuição para o cinema após a sua forma revolucionária na criação de gags. O apelo estético e a engenharia plástica dos movimentos e ações acabaram por influenciar diversos diretores de renome.


Metodologia

O curso irá apresentar o cenário em que se estabeleceu suas criações, as comparações das linguagens da época, as suas transgressões, o cenário que Keaton criou e a incansável busca pela superação que acabou no declínio de sua carreira. Para isso, serão analisados filmes, documentários, vídeos pessoais do próprio diretor, documentos fílmicos, livros e pesquisas, de forma dinâmica e com uma linha lógica para uma melhor absorção do conteúdo.


Conteúdos

O começo com a família no teatro de variedades
As referências
Os primórdios com Chico Bóia
Os primeiros filmes dirigidos
A formação da identidade visual
O conflito com Chaplin
O aprimoramento da linguagem
Análises fílmicas
O legado em obras recentes


Ministrante: Christian Farias

Graduado em Jornalismo e pós-graduado em Cinema pela PUCRS. Pesquisador com ênfase em comédia clássica, tendo seu trabalho sobre Charlie Chaplin aceito como acervo no museu do Chaplin, na Itália. Já dirigiu dois curtas, trabalhou com produções para TV, rádio e internet e hoje é sócio do “Foot.Hub”, uma startup de difusão de conteúdos com ênfase na educação, conexão e inovação. Já ministrou o curso “O Cinema de Charlie Chaplin: Do Pastelão à Crítica Social” pela Cine UM.



Curso

BUSTER KEATON:
GÊNIO ESQUECIDO DA COMÉDIA
de Christian Farias

Datas
15 e 16 de Dezembro (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 95,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 80,00 (para as primeiras 10 inscrições)
b) R$ 90,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito ou transferência bancária / Cartão de crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural


Patrocínio
Total Poker Club

Apoio


Curso Cinema Queer





A ideia de Cinema Queer deriva da ascensão e consolidação da Teoria Queer, nas décadas de 1980 e 1990, como uma maneira de reapropriação e ressignificação teórico-crítica do termo queer. Palavra de cunho pejorativo – que significa estranho e esquisito, e que equivale aos xingamentos: “viado”, “maricas” e “bicha”, no Brasil.

Glen ou Glenda (1953)

Enquanto agenciamento, a Teoria Queer reivindicou um modelo de política interseccional que rejeita as noções de identidade monolíticas e dicotômicas: homem, mulher, branco / não-branco, heterossexual / homossexual. E entende a sexualidade como devir – como algo movediço, ambíguo e ambivalente, em permanente mutação, e que responde ao contexto histórico-cultural em que está inserida.


O Cinema Queer/Cuir diz respeito, então, a produções cinematográficas que subvertem o discurso e a estética heteronormativa – na forma e no conteúdo. Suas narrativas abordam sexualidades fluidas que rompem com padrões tradicionais e têm como protagonistas e/ou personagens de destaque indivíduos LGBTQIA (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Transgêneros, Queer, Intersexo e Assexual).

Priscilla, A Rainha do Deserto (1994)

Nesse sentido, o Cinema Queer promove práticas discursivas a respeito de homoafetividade e homoerotismo em uma sociedade heterossexista, rompendo e se distanciando dos modelos estabelecidos pelo cinema clássico hollywoodiano. Enquanto linguagem e narrativa, esse cinema se constituiu e se afirmou por meio dos repertórios transgressores da estética camp marcada pelo uso da afetação, do artifício, do exagero, do deboche e da paródia de si, presentes na composição das narrativas e dxs personagens – no figurino, na maquiagem, nos gestos, nos discursos e, até mesmo, no próprio corpo.

Tatuagem (2013)

Objetivos

O Curso Cinema Queer: Identidade & Diversidade, ministrado por Rosângela Fachel de Medeiros, objetiva traçar um panorama geral da questão do queer/cuir no cinema, partindo do entendimento do conceito e de sua apropriação no âmbito cinematográfico mundial para então repensar sua configuração no âmbito dos cinemas latino-americanos e brasileiro.

The Rocky Horror Picture Show (1975)

Conteúdos

Aula 1
a) Contextualizar e discutir a teoria Queer e sua importância no campo dos estudos em diferentes áreas do saber.
b) O que é Cinema Queer?

c) O Cinema Queer antes da teoria Queer – historiografia e principais expoentes da cinematografia Queer: cinema underground – décadas de 1960 e de 1970; San Francisco International Lesbian and Gay Film Festival (1976/1977).

Filadélfia (1993)

d) New Queer Cinema – B. Ruby Rich, Sight & Sound (1992) – do impulso radical ao cinema de nicho.
e) Filadélfia (1993), de Jonathan Demme – quando o Queer chega aomainstream.
f) O Cinema Queer como ativismo e política de representatividade.

Querelle (1982)

Aula 2
a) Contextualizar e discutir a ressignificação do conceito Queer no âmbito latino-americano como Cuir – descolonização e identidade cultural.
b) Historiografia e principais expoentes do Cinema Queer/Cuir Latino-americano.

c) O Queer/Cuir no Brasil – do subtexto ao ativismo.

Uma Mulher Fantástica (2017)


d) Uma Mulher Fantástica – quando o Queer/Cuir leva um Oscar;
e) Crianças Queer/Cuir no cinema: Minha Vida em Cor de Rosa (1997), de Alain Berliner; Tomboy (2011), de Céline Sciamma; Pelo Malo(2013), de Mariana Rondón.
f) Cinema Pós-Queer?

O Segredo de Brokeback Mountain (2005)

Ministrante: Drª Rosângela Fachel de Medeiros

Possui mestrado e doutorado em Literatura Comparada pela UFRGS, e graduação em Comunicação Social pela PUCRS. É Professora Visitante do Mestrado em Artes Visuais, da Universidade Federal de Pelotas; e vice-líder do Grupo de pesquisa (CNPq) "Narrativas Contemporâneas e Estudos Culturais" – URI/FW. Participa dos grupos "Cinema Latino-Americano" – UFF; "Cinema da América Latina e Vanguardas Artísticas" (GECILAVA) – UNIFESP. Integra as redes internacionais: RedINAV – Red Iberoamericana de Investigación en Narrativas Audiovisuales, e RICiLa – Red de Investigadores sobre Cinema Latinoamericano. Desenvolve projetos de pesquisas e extensão relacionados à configuração das narrativas audiovisuais latino-americanas contemporâneas, temática sobre a qual já publicou artigos, ministrou conferencias e cursos, e orientou trabalhos de graduação e pós-graduação. Atuou como colaboradora nos festivais: FAM – Florianópolis Audiovisual Mercosul /Brasil, como selecionadora e jurada; e FIS-MED – Festival Internacional de Series Web – Medellín/Colombia, como jurada. Já ministrou para a Cine UM os cursos: "David Cronenberg: Seu Cinema e Suas Obsessões" e “Novo Cinema Argentino”.


Curso

CINEMA QUEER: IDENTIDADE & DIVERSIDADE
de Rosângela Fachel de Medeiros

Datas
10 e 11 de Novembro (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 95,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 80,00 (primeiras 10 inscrições) * Valor promocional esgotado
b) R$ 90,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito ou transferência bancária / Cartão de crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Apoio
Cinemateca Capitólio Petrobras



Curso Mulheres na Direção






As mulheres sempre estiveram por trás das câmeras e frequentemente de fora dos livros de história do cinema. A participação de mulheres nas mais diversas funções, inclusive na direção de grandes filmes, no primeiro cinema norte-americano e nos primórdios dos estúdios de Hollywood, por exemplo, é fato inegável hoje em dia, mas por muito tempo pouco difundido.

A Fada dos Repolhos (1896)

São incontáveis as mulheres que trabalharam nas diversas funções do cinema americano ao longo do século XX, entre roteiristas, montadoras e produtoras. Em menor número, as que trabalharam como diretoras, função de maior destaque, mas não menos importantes.

Uma análise mais atenta revelará uma nova realidade produzindo por consequência uma narrativa parcialmente oculta do cinema americano do início do século XX ao início dos anos 1980 por meio de cineastas mulheres. Elas sempre estiveram presentes nas mais diversas fases e movimentos da evolução do cinema na América: o cinema mudo; o cinema clássico; o cinema experimental; a Nova Hollywood e as pioneiras negras do cinema americano. A proposta é promover uma viagem de revelação e resgate pelo cinema mais conhecido e difundido do mundo - o norte-americano - guiada pelas mãos das mulheres que se aventuraram na direção de filmes neste meio dominado por homens.


Objetivos

O curso Mulheres na Direção: Uma Outra História do Cinema Americano, ministrado por Juliana Costa, objetiva analisar e difundir a cinematografia de diretoras mulheres; estabelecendo uma narrativa revisionista do cinema norte-americano por meio de suas diretoras mulheres. O curso a vida e a obra das mulheres cineastas mais representativas da história do cinema norte-americano.

Caugth in a Cabaret (1914)


Conteúdos

Aula 1

Período Mudo
Cineastas e Filmes

ALICE GUY BLACHE
A Fada dos Repolhos (1896), Falling Leaves (1912),
Algie, The Miner (1912), The Ocean Wife (1916)

MABEL NORMAND
Caugth in a Cabaret (1914)

LOIS WEBER
Suspense (1913), Hipócrates (1915), Where Are My Children (1916),Shoes (1916), Sensation Seekers (1927)

FRANCES MARION
The Love Ligth (1921)

IDA MAY PARK

Bread (1926)

Quem Ama Não Teme (Never Fear, 1949)

Período Clássico
Cineastas e Filmes

DOROTHY ARZNER
Segura que é Teu (Get Your Man, 1927), Garotas na Farra (The Wild Party, 1929), A Volta do Deserdado (Sarah and Son, 1930),
Esposa de Ninguém (Anybody's Woman, 1930), Quando a Mulher se Opõe (Merrily We Go to Hell, 1932), Assim Amam as Mulheres(Christopher Strong, 1933), A Vida é Uma Dança (Dance, Girl, Dance, 1940)

IDA LUPINO
Quem Ama Não Teme (Never Fear, 1949), O Mundo é o Culpado(Outrage, 1950), Laços de Sangue (Hard, Fast and Beautiful, 1951),

O Mundo Odeia-me (The Hitch Hiker, 1953), O Bígamo (The Bigamist, 1953)

Tramas do Entardecer (Meshes of the Afternoon, 1943)

Aula 2

Experimental e Underground
Cineastas e Filmes

MAYA DEREN
Tramas do Entardecer (Meshes of the Afternoon, 1943),
Divine Horsemen: The Living Gods of Haiti (1985)

SHIRLEY CLARKE
The Connection (1961), The Cool World (1963),

O Retrato de Jason (Portrait of Jason, 1967)

Mikey & Nicky (1976)

Nova Hollywood
Cineastas e Filmes

ELAINE MAY
O Caçador de Dotes (A New Leaf, 1971), O Rapaz que Partia Corações(The Heartbreak Kid, 1972), Mikey & Nicky (1976)

BARBARA LODEN

Wanda (1970)

As Filhas do Pó (Daugthers of the Dust, 1991)

Pioneiras Negras Norte-Americanas
Cineastas e Filmes

KATHLEEN COLLINS
The Losing Ground (1982)

ALILE SHARON LARKIN
A Different Image (1982)

JULIE DASH

As Filhas do Pó (Daugthers of the Dust, 1991)

The Losing Ground (1982)

Ministrante: JULIANA COSTA

Pesquisadora de cinema e cineclubista. Membro da ACCIRS - Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul. Integrante do Cineclube Academia das Musas que, desde 2016, objetiva estudar e difundir a cinematografia de mulheres diretoras, e editora da revista anual homônima. Mestre em Educação, com pesquisa em Cinema e Educação, pela UFRGS. Editora e colaboradora do “Zinematógrafo”, fanzine impresso de crítica de cinema.

O Retrato de Jason (Portrait of Jason, 1967)


Shoes (1916)


Curso
MULHERES NA DIREÇÃO: UMA OUTRA HISTÓRIA DO

 CINEMA AMERICANO

de Juliana Costa


Datas
20 e 21 de Outubro (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 95,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 80,00 (primeiras 10 inscrições) * Valor promocional esgotado
b) R$ 90,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito ou transferência bancária / Cartão de crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Apoio
Cinemateca Capitólio Petrobras



Curso Sonho Cinema e Psicanálise




6 Filmes – 6 Temas – 6 Abordagens

Ir ao cinema é uma experiência relacionada ao ato de sonhar. A Psicanálise nasceu da análise dos sonhos e com o tempo muitos diretores foram se nutrindo da teoria psicanalítica para criarem imagens oníricas com alto conteúdo simbólico. Conforme a criação de Sigmund Freud foi se tornando famosa, diversos cineastas no mundo se analisaram e estudaram os conceitos freudianos para a realização de seus filmes.

Com o tempo, virou prática comum a utilização de consultores psicanalistas para a realização de roteiros que trabalhavam com material onírico. Alguns diretores se especializaram neste tipo de produção e criaram obras importantes para todo aquele que se interessa por sonho, cinema e psicanálise.


Objetivos

O curso Sonho, Cinema & Psicanálise: A Representação do Onírico, ministrado por Leonardo Della Pasqua, aborda alguns aspectos sobre a relação entre cinema e o sonhar e analisa filmes recentes com a temática dos sonhos através da ótica psicanalítica. Nesta proposta, a ideia é apresentar três importantes obras em cada dia do curso, com o objetivo de analisarmos em profundidade o modo como os cineastas contemporâneos trabalharam os sonhos em suas realizações. Serão apresentadas cenas de filmes que servirão de base para a reflexão sobre os símbolos e as possibilidades de significado das obras.


blico Alvo

O curso é aberto a qualquer pessoa interessada em psicanálise, sonhos e cinema. Não é necessário nenhum pré-requisito de formação e/ou atuação profissional para participar desta atividade.

Temas


Aula 1 


- Sonhos lúcidos e psicanálise
Preso na Escuridão (Espanha, 1997)
Direção: Alejandro Amenábar


- Sonhos no cinema brasileiro.
O Filme da Minha Vida (Brasil, 2017)

Direção: Selton Mello


- Entre o sonho, o delírio e a alucinação.
O Amante Duplo (França, 2017)
Direção: François Ozon


Aula 2


- Sonhos e processos mentais.
Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças (EUA, 2004)

Direção: Michel Gondry


- Sonhos lynchianos.
Cidade dos Sonhos (EUA, 2001)

Direção: David Lynch


- Sonhos e cinema de animação.
Coraline e o Mundo Secreto (EUA, 2009)

Direção: Henry Selick


Ministrante: Leonardo Della Pasqua

Psicanalista. Psicólogo. Formado em psicanálise na escola Lo Spazio Psicoanalitico di Roma, Itália. Sócio-fundador do Laboratório Psicoanalitico Tiburtino, em Roma, na Itália, onde coordenou o evento “Cinema e Terceira Idade” por um período de três anos. Presidente da Sociedade de Psicologia do Rio Grande do Sul (Biênio 2011-2013), onde coordenou as atividades “Cinema e psicologia” e “Diálogos entre o direito e a psicologia”. Ministra a disciplina "Cinema e Psicanálise" na Psychesul - Sociedade Sul-brasileira de Psicanálise. Ministrou o curso "Filmes e Sonhos: A Psicanálise no Cinema" pela Cine Um, curso que realiza com regularidade há nove anos.


Curso

SONHO, CINEMA & PSICANÁLISE:

A REPRESENTAÇÃO DO ONÍRICO

de Leonardo Della Pasqua


Datas
06 e 07 de Outubro (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 95,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 80,00 (primeiras 10 inscrições) * Valor promocional esgotado
b) R$ 90,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito ou transferência bancária / Cartão de crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Apoio
Cinemateca Capitólio Petrobras



Curso Cinema na Segunda Guerra Mundial





A Segunda Guerra Mundial foi um evento global extraordinário. A repercussão do seu desenvolvimento e do seu desfecho afeta profundamente o mundo até hoje. Contudo, a representação cinematográfica da Segunda Guerra não é equilibrada e precisa ser vista com cautela.


Apesar de envolver diversas nações em praticamente todos os continentes, somente um país emergiu intacto do conflito. Não por acaso, foi nesse país que o cinema atingiu o patamar de indústria, com sua produção sufocando todas as demais. Como sempre, a história foi contada pelos vencedores.


A hegemonia do cinema americano, a partir de então, foi fundamental para a construção de uma noção equivocada de que os EUA foram o fiel da balança na grande luta contra o Nazismo.


No geral, os filmes sobre a segunda guerra celebram as causas aliadas, apresentam uma luta dicotômica entre o bem e o mal e supervalorizam determinados temas como o Dia-D. A realidade da guerra, no entanto, é muito mais complexa e fascinante.


Objetivos

O curso Os Filmes Vão à Luta: O Cinema na Segunda Guerra Mundial, ministrado por Luís Mário Fontoura, propõe um olhar diferenciado sobre a cinematografia dos beligerantes. A ideia é apresentar os principais filmes realizados pelos países envolvidos, contextualizando-os com a realidade histórica e a experiência única de cada um deles. Afinal, para cada nação, a experiência da guerra foi única, assim como o seu olhar cinematográfico sobre ela.


Conteúdos

Produção Cinematográfica durante a Guerra, 1939-1945. Ficção e Documentário.

Principal Filmografia por País. URSS, EUA, Reino Unido, Alemanha, Itália, França, Japão e demais envolvidos. Um guia visual para a guerra.

Os Dez Grandes filmes de Guerra; Qualidades Cinematográficas e Temáticas.

Produções para a TV; Band of BrothersThe PacificThe World at War.



Ministrante: Luís Mário Fontoura

Roteirista formado pela Unisinos (RS). Diretor da série Por Mais Terras que Eu Percorra, sobre a FEB na Segunda Guerra e do curta-metragemDona Herta, que conta a história de uma sobrevivente do holocausto, além de diversos outros curtas e programas de TV.


Curso
OS FILMES VÃO À LUTA: O CINEMA NA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
de Luis Mário Fontoura

Datas
22 e 23 de Setembro (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 95,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 80,00 (primeiras 10 inscrições)
b) R$ 90,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito ou transferência bancária / Cartão de crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Patrocínio
Apoio
Cinemateca Capitólio Petrobras


Curso Pier Paolo Pasolini

Mais informações: http://cinemacineum.blogspot.com.br/






Pier Paolo Pasolini nasceu em Bolonha, em 1922. Assassinado aos 53 anos, em 1975, teve uma vida intensa e polêmica. Estudou arte e literatura na universidade e ingressou no cinema como roteirista de Federico Fellini. Além de figurar entre os grandes do cinema, publicou romances, peças de teatro, ensaios e panfletos políticos. Acima de tudo, foi poeta.


Criou uma obra original. Desde a estreia com Accattone (1961) até o seu último filme Saló ou Os 120 Dias de Sodoma (1975) manteve a ousadia de se reinventar sempre, legando obras notáveis como Teorema(1968) e Decameron (1972), primeiro título de uma trilogia de celebração da vida pelo erotismo, a alegria, o sexo e a exaltação do corpo.


Filiado ao marxismo e formado no misticismo católico da Itália do pós-guerra, percorreu um caminho próprio. Homossexual assumido, foi um intelectual público que se manifestou sobre questões candentes da sociedade através de artigos em jornais, além do cinema e da poesia. Viveu uma radical autonomia criativa na arte e em sua vida pessoal. Além de ter feito 15 longas, curtas e médias-metragens, Pasolini também foi teórico e cunhou a metáfora “cinelíngua” para falar da linguagem do cinema como língua escrita da realidade.



Objetivos

O curso Pier Paolo Pasolini: Intelectual e Cineasta Maldito, ministrado por Fatimarlei Lunardelli, abordará o pensamento e a obra fílmica do diretor. Serão apresentadas as ideias principais do cineasta que se valeu de uma estética cinematográfica radical para criticar a alienação da sociedade de consumo e denunciar a dessacralização do mundo pelo capitalismo avançado.


Conteúdos

Aula 1 - Ousadia criativa e existencial

O poeta
O intelectual
O cineasta


Aula 2 – A obra fílmica e as ideias

Processo criativo
Viés político e estético
A tradição reinventada



Ministrante: Fatimarlei Lunardelli

Pesquisadora e professora nas áreas de Análise, Teoria, Crítica e História do Cinema. Integrante da ABRACCINE e ACCIRS, entidades representativas da crítica cinematográfica brasileira e do Rio Grande do Sul. Já ministrou os cursos "Federico Fellini: O Maestro", "Análise e Interpretação de Filmes", “Ettore Scola: Um Cineasta Muito Especial” e “Narrativa Cinematográfica” pela Cine UM.




Curso
PIER PAOLO PASOLINI:
INTELECTUAL E CINEASTA MALDITO 

de Fatimarlei Lunardelli


Datas
01 e 02 de Setembro (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 95,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 80,00 (primeiras 10 inscrições) * Valor promocional esgotado
b) R$ 90,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito ou transferência bancária / Cartão de crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Patrocínio

Apoio

Cinemateca Capitólio Petrobras




Curso Filosofia no Cinema - 2ª edição





Apresentação

Por muitos séculos os questionamentos filosóficos da humanidade ficaram restritos às discussões acadêmicas e às páginas dos livros. Há pouco mais de 100 anos surgiu uma nova forma de arte - o Cinema – que popularizou os conceitos básicos da Filosofia e convidou o público a articular seus próprios questionamentos filosóficos através da linguagem audiovisual acessível às massas.


Alguns questionamentos levantados pela Filosofia são universais e, portanto, são objeto de preocupação e reflexão para qualquer pessoa, podendo desta forma ser abordados por diversos pontos de vistas em filmes que não se pretendem reflexivos. Entretanto, a Filosofia como disciplina tem produzido conceitos e teorias capazes de nos fazer compreender de forma múltipla e plural tais questionamentos, de modo que a ideia fundamental deste curso é oferecer ao participante conceitos filosóficos que o possibilitem enxergar o Cinema com um outro olhar.


Proposta

O Curso Grandes Temas da Filosofia no Cinema - 2ª edição, ministrado por Rafael Alves de Oliveira, não terá como objetivo produzir uma crítica cinematográfica. A atividade foi estruturada para proporcionar aos participantes um contato inicial com grandes conceitos da Filosofia, tendo o Cinema como elemento mediador. Para tanto, o curso terá como metodologia o debate, a provocação filosófica e o estímulo à reflexão crítica.

Publico alvo

Atividade aberta a todos os interessados. Não é necessário nenhum conhecimento prévio em Filosofia ou Cinema para acompanhar o conteúdo do curso.
Conteúdos

O curso terá como objeto de análise e reflexão os seguintes filmes:



CLUBE DA LUTA (EUA, 1999). Direção: David Fincher.

Temas abordados: As três transformações do espírito; transvaliação dos valores morais.

Pauta: Estabelecer uma conexão entre os conceitos desenvolvidos por Nietzsche e com isto produzir uma reflexão sobre a relação entre nossos hábitos sociais, valores morais e os processos envolvidos no desenvolvimento de ambos.


A DESCOBERTA (EUA, 2017). Direção: Charlie McDowell.

Temas abordados: Absurdo e suicídio.
Pauta: Compreender como estes conceitos permeiam o filme e tensioná-los através da abordagem produzida por Albert Camus dos conceitos trabalhados. Provocar a reflexão principalmente sobre a questão do suicídio.


OLD BOY (KOR, 2003). Direção: Park Chan-wook.

Temas abordados: Absurdo e liberdade.

Pauta: Compreender como estes conceitos permeiam o filme e tensioná-los através da abordagem produzida Jean Paul Sartre. Provocar reflexão sobre a liberdade e os diversos tipos de amor.



TROPA DE ELITE 2 (BRA, 2010). Direção: José Padilha

Temas abordados: Estruturas de poder e violência.

Pauta: Promover uma discussão sobre as concepções de poder presentes no pensamento de Jürgen Habermas, Hannah Arendt e Michel Foucault. Os participantes serão instigados a refletir sobre a atual situação política de nosso país a partir de alguma dessas concepções.



UMA OUTRA HISTÓRIA AMERICANA (EUA, 1998), Direção: Tony Kaye

Temas abordados: Estruturas de poder e violência.

Pauta: Promover uma discussão sobre as concepções de poder presentes no pensamento de Jürgen Habermas, Hannah Arendt e Michel Foucault. Os participantes serão instigados a refletir questões relacionadas ao fascismo, nazismo e totalitarismo.


CAPITÃO FANTÁSTICO (EUA 2016). Direção: Matt Ross.

Temas abordados: Desobediência civil e autossuficiência.
Pauta: Compreender como Henry David Thoureau se apropriava destes conceitos em sua vida cotidiana e refletir a respeito das reais possibilidades de seus usos nos dias de hoje. 


Ministrante: Rafael Alves de Oliveira

Professor de Filosofia e mestrando em Filosofia pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul). Editor do blog "Cinesofia" que aborda o Cinema e a Filosofia fazendo conexões e leituras interligando temas diversos como ética, violência, cultura, quadrinhos e video game.


Curso
GRANDES TEMAS DA FILOSOFIA NO CINEMA
2ª edição


de Rafael Alves de Oliveira

Datas
11 e 12 de Agosto (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 95,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 80,00 (primeiras 10 inscrições) * Valor promocional esgotado
b) R$ 90,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito ou transferência bancária / Cartão de crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Patrocínio
Apoio
Cinemateca Capitólio Petrobras



Curso Storytelling



O que Senhor dos AnéisTubarãoStar WarsApocalypse NowToy StoryO Sexto Sentido e Psicose tem em comum? Além de serem obras superiores da sétima arte, todos são filmes construídos a partir de poderosas narrativas que capturam a emoção dos espectadores.


A narrativa é uma arte. Contudo, sua execução não depende apenas da inspiração e de algum dom intrínseco. A arte em sua forma plena, profissional, depende de técnica e muito trabalho. Aprendizado e entretenimento. Esse é o objetivo da narrativa. As pessoas gostam de histórias porque elas aprendem, experimentam, testam e obtém resultados sem precisar viver algo real. As pessoas gostam de histórias porque querem entretenimento. Querem torcer que o vilão seja derrotado e que o casal finalmente consiga ser feliz. E, vamos ser justos, geralmente o vilão é derrotado e o casal fica feliz. Não é? E porque essa “história” batida ainda funciona? Esta é a “mágica” que existe na técnica de contar histórias.


Storytelling, contação de histórias ou simplesmente narrativa, tem sua raiz a própria aurora do homem. A narrativa rendeu ao ser humano benefícios evolutivos de sobrevivência, conforme a teoria da Seleção Natural de Charles Darwin. É a partir desse conceito que entendemos a importância e onipresença da narrativa na história humana. Conforme esta teoria, sobrevive o indivíduo mais apto. Aquele que melhor se adapta ao seu ambiente e tira proveito dele. E a narrativa, que advém de um cérebro capaz de criar projeções, fantasias, previsões, é uma das ferramentas mais importantes que o Homo sapiens tem ao seu dispor.


Objetivos

O curso Storytelling: Os fundamentos da narrativa, ministrado por Cris Derois, vai analisar e discutir as bases conceituais da narrativa, buscando identificar as ferramentas e as técnicas aplicadas em linguagens tão distintas como o cinema, a literatura, a publicidade e as histórias em quadrinhos.


Público alvo

O curso, aberto ao público geral interessado no tema, tem como público alvo os cinéfilos, filmakers, roteiristas, escritores, leitores e publicitários. Não é necessário nenhum pré-requisito de formação e/ou atuação profissional.



Temas / Conteúdos das aulas

- Storytelling a partir da neurociência: razão e emoção.
- Aprender o que a audiência quer, e como quer.
- As bases da narração de histórias, independente da linguagem (escrita, falada, cinema).
- Os fundamentos básicos da construção de histórias: enredo, personagem, ponto de vista e mensagem.
- A narrativa: como construir histórias a partir da análise da estrutura.
- Técnicas narrativas para potencializar a história. Pontos de virada, ironia dramática, metáforas e subtexto.
- Storytelling no marketing e publicidade.


Ministrante: Cris Derois

Roteirista, diretor de cena e escritor. Trabalha com roteiro e direção em documentários, filmes empresariais, institucionais e clipes musicais. Foi colaborador do site "Vida de escritor". Atua com o audiovisual desde 2007, ministrando cursos e palestras sobre edição de vídeo, montagem,storytelling e narrativa. Pesquisa e aplica os conceitos da Genética do Comportamento em seus trabalhos sobre comunicação humana.



Curso
STORYTELLING:
OS FUNDAMENTOS DA NARRATIVA
de Cris Derois

Datas
28 e 29 de Julho (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 95,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 80,00 (primeiras 10 inscrições) * Valor promocional esgotado
b) R$ 90,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito ou transferência bancária / Cartão de crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Patrocínio

Apoio
Cinemateca Capitólio Petrobras



Curso Construção do personagem

Mais informações: http://cinemacineum.blogspot.com.br/




No final do século 19, na Rússia, surgia um ator e grande entusiasta da arte da representação, que não estava satisfeito com a forma melodramática de declamação do teatro da época. Apenas poucos atores chamados "gênios" conseguiam verdadeiramente uma atuação realista, que convencesse em cena. Inconformado, este ator passou a sistematizar o trabalho dos artistas que admirava, negando toda forma de inspiração ou talento, e partindo de pressupostos técnicos e sistemáticos. Este era Constantin Stanislavski, pai da pedagogia do ator, e criador do mais conhecido e importante estudo de interpretação, o chamado Sistema Stanislavski.


Os estudos de Stanislavski se popularizaram no mundo inteiro ao longo do século 20 e chegaram à Hollywood em meados de 1930, pelas mãos de Elia Kazan. Em parceria com alguns nomes do teatro e do cinema norte-americano, Kazan fundaria o Actor's Studio. Lee Strasberg, a partir de 1950, no comando do Studio, foi um dos grandes responsáveis pela popularização do Sistema Stanislavski, que a partir da visão estadunidense, ganhou status de "método", ou melhor ainda, "O Método". 

Técnicas de submersão no personagem e alta dosagem nas emoções popularizaram atores como James Dean, Marilyn Monroe e Marlon Brando, entre muitos outros. Entretanto, como poderíamos entender o Método à luz de nossas experiências práticas? O que Stanislavski tinha como objetivo com a sistematização e sua busca pela verdade cênica? Será que Lee Strasberg e Hollywood de fato continuaram a pesquisa de seu sistema?


 Objetivos

O curso Construção do Personagem: Uma abordagem sobre a interpretação, ministrado por Juliano Rabello, tem o objetivo fornecer elementos teóricos e reflexivos que ofereçam respostas às questões fundamentais: Como construir um personagem? Como dirigir uma interpretação cênica? Baseado em experiências práticas do ministrante e de caminhos traçados por grandes atores e atrizes, o curso oferecerá aos participantes - sejam eles atores, roteiristas ou diretores - ferramentas efetivas para seus projetos cinematográficos.


Público alvo

O curso é aberto ao público em geral.
Não é necessário nenhum pré-requisito de formação e/ou atuação profissional para participar deste curso.

Trata-se de uma atividade de caráter teórico.


Conteúdos

Aula 1

- A revolução de Stanislavski para o trabalho do ator.
- A americanização do Sistema Stanislavski.
- A construção de uma Ação Real.

 


Aula 2

- O superobjetivo e a linha direta de ações.
- Uso das lembranças do ator na construção de um personagem.
- Fisicalização, o trabalho dos atores "camaleões".
  

Ministrante Juliano Rabello

Ator, diretor e professor de teatro, coaching de atores e coordenador da Efêmeros Escola de Arte. Dirigiu o espetáculo “O Anexo Secreto”, adaptação do livro Diário de Anne Frank. É preparador de elenco da Painel Publicidade e ator da Cia. Fasta. Atualmente remonta de maneira prática todos os elementos do sistema de Stanislavski e participa da elaboração do musical "Vamos Fazer um Filme?". É diretor e preparador de elenco da peça “A Gaivota”, de Anton Tchekov.


Curso
CONSTRUÇÃO DO PERSONAGEM:
UMA ABORDAGEM SOBRE A INTERPRETAÇÃO
de Juliano Rabello

Datas
07 e 08 de Julho (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 95,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 80,00 *valor promocional esgotado
b) R$ 90,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito ou transferência bancária / Cartão de crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Patrocínio

Apoio
Cinemateca Capitólio Petrobras





Curso John Cassavetes








Apresentação

O ator John Cassavetes iniciou sua carreira no cinema ao lado de outros grandes nomes como Paul Newman e Marlon Brando. O movimento que ficou conhecido como Nova Hollywood, além de revolucionar as histórias e a maneira de filmar, também apresentou uma nova geração de atores e atrizes que fugia da figura dos astros do star system chamada Era de Ouro do cinema americano.


John Cassavetes, no entanto, não se contentou em ter apenas a arte da interpretação para se expressar e resolveu se aventurar na direção e no roteiro utilizando dinheiro do próprio bolso e atores amadores. O que ninguém esperava é que ele fosse marcar para sempre a história do cinema e ser considerado o pai do cinema independente americano.


Mas qual é a magia do cinema de Cassavetes? Por que seus filmes foram ovacionados pelo público europeu e sua terra natal poucas vezes se lembra dele? Qual o impacto da presença constante de Gena Rowlands, sua esposa e parceira de cena, nos filmes finais de sua carreira?


Objetivos

O Curso John Cassavetes: Um Cineasta Sob Influência, ministrado por Bianca Zasso, tem como objetivo responder estas e outras questões e discutir a força das cenas criadas pelo realizador, bem como seu processo criativo e suas parcerias cinematográficas.


Conteúdos

Aula 1

- A carreira de ator
- O nascimento do Cassavetes diretor
- O processo de criação independente dos estúdios
- Os primeiros filmes


Aula 2

- O auge da carreira de diretor
- A criação de um estilo
- John Cassavetes e Gena Rowlands: uma parceria além das telas


Ministrante Bianca Zasso

Jornalista e Especialista em Cinema formada pelo Centro Universitário Franciscano. Integrante da Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul (ACCIRS). Atua como pesquisadora e crítica de cinema desde 2009. Integrou durante cinco anos o projeto de extensão Cineclube Unifra. Foi colaboradora dos sites Papo de Cinema e Delirium Nerd. Atualmente escreve para os sites Claudemir PereiraDVD MagazineAction News e Formiga Elétrica. É apresentadora/comentarista de cinema da série de vídeos Bia na Toca, realizada pela produtora Toca Audiovisual. Integra o Elviras - Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.



Curso
JOHN CASSAVETES:
UM CINEASTA SOB INFLUÊNCIA
de Bianca Zasso


Datas
23 e 24 de Junho (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 95,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 80,00 (para as primeiras 10 inscrições)
b) R$ 90,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito ou transferência bancária / Cartão de crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br / Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Patrocínio

Apoio
Cinemateca Capitólio Petrobras







Cinemateca Capitólio Petrobras (Rua Demétrio Ribeiro, 1085 – Centro Histórico) participa da 2ª Semana Nacional de Arquivos, em parceria com o Arquivo Público do Estado do RS, realizada de 4 a 9 de junho, com atividades gratuitas. A iniciativa é promovida pelo Arquivo Nacional e a Fundação Casa de Rui Barbosa e tem o objetivo de abrir os arquivos e instituições de memória para a sociedade e divulgar o trabalho de salvaguarda do patrimônio documental do país. Várias instituições participarão com eventos em todo o país, seguindo o tema proposto pelo Conselho Internacional de Arquivos (ICA): “Governança, Memória e Herança”.



Neste contexto a Cinemateca esta realizando dia 05/06/2018 duas atividades na Sala Multimídia, 3º andar:

- Oficina de “Preservação de Documentos Audiovisuais”
   Ministrante: Maria Osmari Ravagnani Inscrições Gratuitas
   Horário: 10:00 às 12:00 - Vagas limitadas (35)

- Cinema no Arquivo – Filme “Cinema Paradiso”, de Giuseppe Tornatore
  Horário: 14:00 às 16:00 – Vagas limitadas (40)
  Itália e França - 1988 Drama 2h 4m


Ganhou inúmeros prêmios entre eles o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1990


Sinopse: O menino Totó se encanta pelo cinema e inicia uma grande amizade com o projecionista de sua pequena cidade. Já adulto e agora um cineasta bem-sucedido, Totó volta a lembrar de sua infância ao descobrir que seu velho amigo faleceu.

Elenco: Philipe Noiret, Agnese Nano, Jacques Perrin, Leopoldo Trieste, Enzo Cannavale, Isa Danieli, Leo Gullota, Roberta Lima.

O formulário de inscrição, bem como a programação completa deste Evento está disponível no Blog do Arquivo Público do Estado do RS.

https://arquivopublicors.wordpress.com/2018/05/23/apers-na-2a-semana-nacional-de-arquivos-descricao-dos-eventos-e-inscricoes/



Curso DC x Marvel






Nos últimos dez anos, as maiores bilheterias do mundo tem oscilado entre alguns gêneros, mas a constante tem sido os filmes baseados em histórias em quadrinhos. Por que isso acontece? Qual a fórmula do sucesso? E por que as grandes rivais das HQs, Marvel e DC, tem se consolidado no cinema?

Este curso tem como objetivo tentar responder a estas questões enquanto apresenta um panorama geral das principais obras do gênero comandadas pela Disney e a Warner.



Filmes baseados em histórias em quadrinhos existem desde que oSuperman foi criado há 80 anos. De 1940 até hoje, foram inúmeros longas, curtas e séries para a TV e o cinema. Homem de FerroCapitão AméricaBatmanMulher Maravilha e Homem-Aranha, todos eles – e outros tantos - foram adaptados para as telas. Alguns casos são icônicos, como a primeira vez em que vimos Superman voar em cores nos anos 70 sob as mãos de Richard Donner. O morcegão, por sua vez, foi o grande astro entre o fim dos anos 80 até a metade dos 90. Anos depois, foi a vez dos mutantes da Marvel estrelarem uma reinvenção do gênero.


Nos intervalos destas produções, houve fracassos, filmes medianos ou até mesmo nenhum estúdio se arriscando a levar os personagens de uma mídia mais de nicho. Porém, como nada em Hollywood se cria, apenas se reinventa, nos anos 2000 se percebeu o desgaste de outros temas de sucesso de outrora em blockbusters, como os "machões" do cinema de ação, as comédias românticas datadas e previsíveis e, até os mundos de fantasia literários - salvo exceções bilionárias como as sagas de O Senhor dos Anéis e Harry Potter.

Nos últimos dez anos, as maiores bilheterias do mundo tem oscilado entre alguns gêneros, mas a constante tem sido as produções que bebem nas fontes das HQs. Por que isso acontece? Qual a fórmula do sucesso? E por que as grandes editoras rivais, Marvel e DC, tem se consolidado no cinema?


Proposta

O curso DC x MARVEL: BATALHA DE TITÃS NAS TELAS, ministrado por Matheus Bonez, vai analisar a trajetória das adaptações cinematográficas das gigantes líderes do mercado editorial das HQs. O curso apresentará um panorama geral das principais obras do gênero, comandadas hoje pelos impérios da Disney e da Warner, que disputam a atenção e as preferências de legiões de fãs pelo mundo afora.


Programa

Aula 1


- Para o alto e avante: um breve histórico das HQs no cinema dos anos 40 a 2000.
- A jornada do herói: a influência da narrativa de Campbell na história dos super-heróis.
- DC: é preciso uma maravilha para superar a crise?


Aula 2



- O triunfo da Marvel: dez anos de sucesso de bilheterias.
- A fórmula: por que os Vingadores estão sempre no topo?


Ministrante: Matheus Bonez

Jornalista e crítico de cinema, especializado em "Cinema Expandido" pela PUCRS. Apresentador dos programas "Espaço Público Cinema" e "Curta Cine" da TV Assembléia - RS. Geek fanático por HQs desde a infância.


Curso
DC x MARVEL:
BATALHA DE TITÃS NAS TELAS
de Matheus Bonez

Datas
26 e 27 de Maio (sábado e domingo)

Horário
14h às 17h

Duração
2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local
Cinemateca Capitólio Petrobras
(Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento
R$ 95,00
* Desconto para pagamento por depósito bancário:
a) R$ 80,00 (para as primeiras 10 inscrições)
b) R$ 90,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento
Depósito ou transferência bancária / Cartão de crédito (PagSeguro)

Material
Certificado de participação e Apostila

Informações
cineum@cineum.com.br  /  Fone: (51) 99320-2714

Realização
Cine UM Produtora Cultural

Patrocínio
Apoio
Cinemateca Capitólio Petrobras


Nenhum comentário:

Postar um comentário